O Boquete (por ela)

Reproduzo (na íntegra) um texto maravilhoso, da sensacional Lena Lopez.

 

Você sempre sabe o que quero, quando quero e como eu quero! As vezes me perco, olhando para o teu corpo e deixando as fantasias rolarem soltas na minha cabeça. Quando te olho assim, sei que você também se excita, porque os nossos olhos falam um com o outros.
Há dias que não estou a fim de sexo, isto é, sexo comum e convencional e eu quero inovar, até mesmo fazer algo diferente. Há dias que o cansaço fala alto, mas como eu não vivo sem você e o contato com o teu corpo é inadiável para mim, eu tenho que lançar mão das minhas fantasias extravagantes, acalmar esse fogo que você acende dentro de mim, para quem sabe me animar e fazer sexo loucamente com você… E, isso sempre me acontece!
As vezes eu sou direta e sento à tua frente, não preciso te dizer nada, você sabe muito bem o que eu quero! Eu adoro ver a tua cara quando faço isso! Então te abraço pela cintura e com meu rosto acaricio o teu pau amolecido, ainda sob as calças e creio eu, apesar de mole, provavelmente ansioso pelo que eu tenho nos meus pensamentos.
Minha boca já conhece muito bem o gosto, e por isso se enche de saliva, minha língua já distingue cada uma das tuas dobras e meus lábios sabem a intensidade do calor que ele tem! Basta-me apenas pensar para ficar excitada, trazer à tona as minhas memórias, que não são tão antigas assim, ontem mesmo te fiz um boquete delicioso.
Você sabe! Você sabe muito bem o que eu desejo! E eu estou aqui, sentada a tua frente.
Deixe-me abrir o cinto, descer o zíper e levantar a tua camisa e baixar as tuas calças até os pés. Sim eu sei, só de imaginar a minha boca no teu pau, você ficou excitado e endureceu. Deixe-me vasculhar as possibilidades, medir o teu tesão por cima da cueca e sentir a glande, que está saltando para fora, já com uma gota brotando do orifício e escorrendo.
Fecho os olhos, desejando o teu gosto, puxo a cueca para baixo, involuntariamente passo a língua nos meus lábios. Num ato instintivo, minha boca faminta, de uma só vez, envolve teu pau e o suga com ânsia, querendo muito mais do que aquela gota solitária. Sinto que tuas pernas tremem, um gemido louco denunciou-me teu prazer.
Sem usar as mãos, ocupadas com a camisa, você descalça o sapato, desfaz-se das calças e joga tudo para o lado, ficando completamente nu. Não é necessário te pedir, te quero sentado no sofá e você sabe o que fazer, com cuidado, devagar, por que não gosto de retirar da boca e ter que recomeçar.
Vestido preto e decotado, meus seios apoiados nas tuas pernas e sinto neles a tua mão, procurando introduzir-se por baixo do tecido, tentando tirá-los para fora. Sinto uma das alças cair do ombro e a tua mão segurando um dos meus seios, procurando pelo bico intumescido. O calor me faz suspirar, a sensação me arrepia e perco a concentração. Empurro a tua mão, recoloco a alça ao ombro. Você sabe que eu gosto de ficar vestida nessa hora, então por que a teimosia?
Olho para você e engulo o teu pau até a base. Vejo-te estremecer e respirar fundo. Teu pau alcança a minha garganta, sinto teus testículos tocar-me o queixo. Lentamente retiro-o da boca e ao chagar na glande lambo o freio. Novamente abocanho até o fundo e permaneço assim um pouco, sentindo-o latejar dentro da minha boca. Isso me excita mais e começo lentamente o vai-e-vem. Sinto que você segura meus cabelos, proporcionando melhor visão e ao mesmo tempo ajudando-me a continuar os movimentos. Tua ansiedade te faz perder o controle e força a minha cabeça para baixo, fazendo-me engasgar. Sinto falta de ar, você foi além dos meus limites, te olho com reprovação, como pedindo que me você deixe à vontade.
Retomo com mais sede, acelero os movimentos, teu corpo estremece, você geme e urra sem nenhuma vergonha e nem mesmo lembra que as paredes do apartamento tem ouvidos. Você abraça meu corpo com as pernas, me aperta entre as coxas. sinto meus seios espremidos e as costelas doídas, mas continuo lambendo e chupando chupar. Paro os movimentos e fico somente com a glande dentro da boca, dedicando-lhe caricias com a ponta da língua, lambendo o orifício e vibrando-a no freio. Teu pau enrijece mais e torna-se mais quente.
A língua trêmula varre teu pau, de cima para baixo rumo aos testículos, ao alcançá-los, chupo um e depois o outro. Volto à varredura, de baixo para cima e ao chegar na glande, te chupa muito mais forte. Enterro-o na boca e faço vai-e-vem, você se contorce e perde o controle. Te vendo explodir, continuo incansável, acelero mais ainda e ajudo com as mãos, ao mesmo tempo chupo e te soco uma punheta. Dentro da minha boca teu pau incha e lateja, finalmente jorra e enche a minha boca com teu jatos quentes.
– PUTA QUE PARIU, GOZADA DO CARALHO!
– Te prepara, estou muito excitada e a noite… apenas começou!

créditos: Lena Lopez

Powered by WPeMatico

Te conto um conto: Com a e um sexo à três

Taradinhos e taradinhas,

Chegamos, SEXXXta-feira! Dia de por o pé na jaca e acordar amanhã pensando em porque eu fiz aquilo ontem… :)

E pra começar bem o fim de semana, nada melhor que uma história inspiradora.
Confiram;

 Com a ex um sexo à três

Olá a todos, meu nome é Guilherme, moro no interior de SP, tenho 26 anos, sou solteiro. Minha última namorada foi a Vanessa Uma loira linda, olhos azuis, corpo lindo, seios médios pra grandes, silicone né?!rsss… ela tem corpo lindo, muito gostosa.
Nós tínhamos uma vida sexual muito boa, sempre que possível nós transávamos, já realizamos várias fantasias nossas, transamos no meio de uma boate, na rua, sob a chuva no capo do carro… essa foi a melhor… ela realizou minha maior fantasia, transar com uma amiga dela muito gostosa que na época estudava com ela, a Bruna. Foi muito bom transar com ela e a Bruna, as duas se beijando e tudo mais.
Faz cerca de 3 meses que terminamos, mas ainda temos uma sessão as vezes, e eu tenho saído com uma garota por ai, gostando de curtir junto com ela, e ela, pelo que me falou também esta saindo com um cara, um tal de Diego, estuda com ela. Tudo bem, não temos mais nada e de vez em quando ela me liga e a gente sai.
Ela me diz que o cara não é muito bom de cama, por isso me liga, por ter um tesão em mim ainda, e que eu faço ela gozar. Adoro ouvir quando ela me diz isso e tudo mais. A gente transa pra valer, ela me da o cuzinho, adora que eu goze na boca dela, chupe a bucetinha, enfim, sexo intenso.
Certa vez nós saímos para um barzinho e ficamos bebendo e conversando, ela estava linda, de saia branca bem justa, uma blusinha soltinha preta, salto alto, uma delicia. Papo vai, papo vem, ela levanta e diz que vai ao banheiro. Quando ela volta me diz:
– Gui, essa daqui é pra você me devolver amanhã cedo. Simplesmente ela me deu a calcinha que ela estava usando, ela tirou no banheiro e me deu, ficou sem calcinha. Era uma vermelha de rendinha, um tesão.
E como ela gostava de me provocar, sussurrava muita besteira no meu ouvido, ela sabe que me deixa louco assim, é muito safada, e isso me deixa com mais tesão nela ainda.
Trocamos vários beijos, várias caricias. E fomos embora pra ir pra um motel terminar a noite. Quando a gente estava no carro ela vira e me fala.
– O Diego sabe que eu estou aqui com você.
– Como assim? Perguntei assustado.
– Disse pra ele que tinha uma fantasia de transar com 2 caras e que tinha que ser com você, e ele me liberou pra sair e ver se você toparia! Me disse sem a menor vergonha… kkkkk
– Com certeza eu topo Nessa, você é uma safada, e como te conheço, se não for comigo, vai ser com outro, então que seja comigo. Topo sim. Mas quando??
– Agora, é só eu liga pra ele que ele ta me esperando.
Aquilo tudo tinha me deixado com o pau duro demais, estava com tesão da situação.
– Liga agora então, to cheio de tesão, quero só ver.
E não é que ela ligou mesmo pro cara.
– Morzinho, to com o Gui aqui, ele topou, daqui 15 minutos a gente passa na sua casa pra pegar você, bjoosss.
Passei na casa do tal Diego, pegamos ele, e fomos pro motel. O cara não tinha nada em especial, era normal, quase mesma altura que eu, só que mais magro.
Ela pediu pra deixar ele ir dirigindo e tals. Deixei sem maiores problemas, ela foi pro banco de traz e eu sentei na frente com ele, e não é que a safadinha veio e abriu minha calça e tirou meu pau pra fora e ficou só alisando.
– Pega no meu também safada. Disse o Diego pra ela.
Na mesma hora ela atendeu, abriu a calça dele, tirou o pau dele pra fora e ficou alisando os dois ao mesmo tempo, meu pau tava muito duro, ele fica cabeçudo quando to com muito tesão, ela deu um jeito, não sei como e ficou chupando meu pau, lembendo ele, e ficou alisando o pau do Diego.
– Isso safada, isso que eu queria ver, você chupando outro cacete e me alisando, safada. Falava ele pra ela.
– Você gosta de me ver então é safado? Olha eu chupando então esse pau duro e grosso.
– Não olha muito não senão vai bater o carro… rsss.. Disse pra ele.
Enfim, chegamos ao motel, pegamos uma suíte, e entramos, já cheguei agarrando ela, beijando aquela boca gostosa dela, alisando todo o corpo dela, ela me jogou na cama, e ficou rebolando, dançando num pole dance que tinha no quarto, quando ela abriu bem a perna ela já estava sem calcinha, estava comigo.
– Cade sua calcinha??? Perguntou o Diego.
– Ta aqui cara, ela me deu no bar, ficou sem calcinha o tempo todo. Safada não?!
– Muito safada. Muito.
Ela foi tirando tudo, ficando peladinha, tirou a blusinha e o sutiã, deixando aqueles peitos redondos e muito firmes a mostra pra gente, virou de costa pra gente e foi baixando a sainha, bem empinadinha, não aguentei e cheguei por traz dela, essa altura já estava só de cueca, encostei o pau na bunda dela, e ela começou a rebolar nele, deixando ele mais duro ainda, ela chamou o Diego pra vir junto também, ela queria muito dois pra ela.
– Vem Di, vem aqui vem, quero 2, to gulosa hoje.
Na mesma hora que ele chegou ela já tirou o pau dele pra fora e ficou chupando, lambendo ele todinho, o saco, sugando as bolas. Abaixei na bucetinha dela e cai de boca, bucetinha dela linda, lisinha por baixo e com um pouco de pelinhos em cima, bem aparadinhos e curtinhos, lambi ela, passava a língua no grelinho dela, dava uma sugadinha ela se retorcia de tesão.
Foi ai que ela ficou de pé pegou nós dois pela mão e fomos até a cama, deitou os 2 na cama e caiu de boca no meu pau e no pau dele, revezando entre os 2, chupando tudo, lambendo, babado, enfiava tudo na boca, chegava a engasgar e soltar aquela baba no pau.
Ela foi pra cima do Diego com a bucetinha na cara dele pra ela chupar, fiquei de pá do lado dela e dei meu pau pra ela continua chupando, que boquete gostoso, tava com muito tesão.
– Hummm… quero meter… me fode Di, me fode… pediu ela.
– Vem ca, sente no meu pau. Respondeu de bate pronto.
Ela sentou, cavalgando gostoso no pau dele, e batendo uma punheta pra mim e me lambendo.
– Isso safada, queria 2, agora aguenta, safada. Falava pra ela
– Isso me fode…hummm… pau gostoso, quero você Gui… vem me comer…
Ela saiu de cima do Diego, deitou na cama de perna bem aberta pra mim e ficou alisando a bucetinha me chamando com o dedinho. Cheguei perto da bucetinha dela, coloquei a cabeça do meu pau na portinha melada dela e fui entrando de leve, e fui só aumentando a velocidade, fodendo ela com vontade, ela gemendo e pedindo mais… O Diego ficava mamando nos peitos dela e ela batendo uma punheta pra ele.
– Isso Gui, me fode, mefode… sou sua putinha… me fode caralho…hummmmmmmmmmmm… isso….. ahhhnnnnnnnnnnnn…. vou gozarrrrr… ahhh… vou gozarrrrrrr….
E gozou, senti aquela bucetinha ficando quentinha e escorrendo na cama. Caiu de boca no pau do Diego e pediu.
– Quero os dois em mim, juntos, no cuzinho e na bucetinha. Vem, vem Gui, vem no meu rabinho.
Ela ficou de 4 em cima do Diego e sentou no pau dele, e ficou rebolando aquela buceta quente me chamando pra por no rabinho dela. Cheguei perto dela, dei uma lambida no cuzinho dela, e enfiei a cabeça do meu pau, cuzinho apertadinho, enfiei tudo nela, fiquei metendo por traz e o Diego na bucetinha dela.
– Aaaaahhhhnnnnnnnnnn… ai q gostoso… ai q gostoso… me fodeeee… ai caralho…vo gozar de nvvv…. hummmmmmmmmmmmmmmmmmmm
E gozou no pau dele comigo fodendo o cuzinho dela. Sai do bundinha dela e dei meu pau pra ela chupar, deitei na cama, e o Diego botou ela de ladinho e enfio no rabinho dela de novo, ela ficou me chupando e dando o cu pra ele.
Ele não aguentou muito no cuzinho dela e encheu ele de porra. Gozou la dentro mesmo.
– Ahhh Nessa, vou gozarrr… aaahhhhhh
– Goza no meu cu…goza ai… hummm…nao para de foder… não para…
E gozou. Faltava eu gozar ainda, ela veio em cima de mim, sentou no pau e ficou agachando com a bucetinha nele, muito quente a bucetinha a Vanessa.
– Goza safado, me da porra quente. Me pedia ela.
– Vai vagabundinha, rebola nesse pau, mete caralho, fode meu pau.
Não aguentei muito e disse pra ela que ia gozar.
– Ahhhh…vou gozar Nessa… vou gozarrr caralho…
Ela saiu de cima de mim e caiu de boca no meu pau, bateu uma punheta e pediu porra na cara, na boca dela.
– Me dá leitinho na boca, vai, me deixa sentir essa sua porra quente na minha cara de safada.
– AHhhhhhhhhhhhhh….
E enchi a boca dela de porra. Gozei muito na cara dela, ela babava no pau enquanto eu gozava. O Diego só ficou olhando eu encher a boca da namorada dele, e minha ex, de gozo.
– Caralho, quanta porra. Ele disse.
– Falei pra você morzinho, adorei vocês dois, adorei. Depois vou querer mais. Dizia a Vanessa totalmente mole de canseira que a gente deu nela.
Enfim, os 3 caímos na cama e descansamos um pouco e depois fomos tomar um banho. Eu ganhei um boquete no banho ainda enquanto ele fodia a xoxotinha dela, gozei na boca dela de novo. Muito bom essa noite com minha ex.

 

Curtiram? ;)

Fiquei molhadinha… Ui ui ui.

Beijinhos molhadinhos e usem camisinha

Powered by WPeMatico